‘Empresas estrangeiras não serão poupadas’, diz procurador da Lava-Jato

O procurador da República Athayde Ribeiro Costa declarou que as duas fases da Lava-Jato deflagradas nesta sexta-feira — uma delas que levou o ex-deputado petista Cândido Vaccarezza (PTdoB) à prisão — mostram que “as empresas estrangeiras não serão poupadas na Lava-Jato”. As 43ª (no Rio, chamada de Sem Fronteiras) e 44ª (em São Paulo, chamada de Abate) fases da Lava-Jato investigam pagamento de propinas em contratos da Petrobras envolvendo empresas gregas e americanas.

A delação do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa foi ponto de partida para que Polícia Federal (PF) e Ministério Público Federal (MPF) desvendassem o esquema.

Na “Sem Fronteiras”, investiga-se o pagamento de propina para facilitar contratos com armadores gregos para fretamento de navios da Petrobras. Costa ajustou com o cônsul honorário da Grécia no Brasil, Konstantinos Kotronakis, um esquema de facilitação de contratação de navios gregos, mediante o fornecimento de informações privilegiadas e o pagamento de propinas.

O esquema formalizou contratos, entre 2009 a 2013, em valores que superam US$500 milhões.

 

Com informações do O Globo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *