Morte de testemunha da Lava Jato deve ser rigorosamente investigada. Confira esta e outras notas na coluna de hoje do JPM

Ação do ‘quadrilhão do MDB’ já é chamada de ‘Caixão’

Quem cunhou o nome foi a jornalista Helena Chagas, no site Divergentes. “Depois do Mensalão e do Petrolão, o

Caixão”, titulou ela análise que fez sobre o avanço dos emedebistas sobre os recurso da Caixa Econômica Federal e seu fundo. Lembrado que o esquema, que acontece há vários anos, tem o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e os ex-ministros Geddel Vieira Lima e Henrique Eduardo Alves, três proeminentes emedebistas, como um dos chefes. A maracutaia faz parte de uma das ações do chamado “Quadrilhão do PMDB (agora MDB)” e tem fortes respingos sobre o Palácio do Planalto.

Temer sofre desgaste ao manter vices da Caixa

O presidente Michel Temer recuou e acatou orientação do Ministério Público Federal e do Banco Central de afastar os vices-presidente da Caixa envolvidos no abocanhamento da estatal financeira. Mas a manutenção deles, conhecido por “operadores de Cunha e Geddel na Caixa” acabou gerando um forte desgaste para o presidente. Dos quaro afastados, ao menos três foram flagrados atendendo recomendações de Geddel e Cunha para operações ilícitas.

Marun apronta mais uma das suas

O ministro-chefe da Secretaria de Governo, Carlos Marun, aquele aqui já descrito como um “elefante em loja de cristais” aprontou mais uma das suas. Depois de praticamente chantagear governadores e prefeitos para que pressionassem deputados de suas bases para votarem a favor da reforma da Previdência em troca de recursos dos bancos públicos, agora ele pressiona a chamada “bancada de microempresas” em troca de votos para a reforma. Quem denuncia é o presidente do Sebrae, Guilherme Afif, que se reuniu com deputados e senadores ligados a micro e pequenas empresas para discutir o veto do governo ao Refis do setor. Marun teria coloca como condição para derrubar o veto o compromisso da bancada com a aprovação das mudanças na Previdência.

Morte de testemunha da Lava Jato deve ser rigorosamente investigada

A morte de José Roberto Soares Vieira, com nove tiros, em Candeias, Região Metropolitana de Salvador (BA), deve ser rigorosamente investigada. Vieira foi uma das principais testemunhas da investigação da Operação Lava Jato sobre esquemas de corrupção na Transpetro, a subsidiária de transportes da Petrobras. Suas revelações permitiram chegar ao ex-presidente da estatal, Sérgio Machado, aquele do famoso grampo das conversas com emedebistas sobre o “plano nacional” para abafar a operação “com o Supremo e com tudo”.

Apaziguando os ânimos

MPF avisa que não pediu prisão de Lula

A Procuradoria Regional da República que atua junto ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) emitiu nota à imprensa avisando que não pediu a prisão imediata do ex-presidente Lula caso ele seja condenado na segunda instância. Na nota, a Procuradoria diz que o cumprimento da pena seguirá o andamento normal da execução penal, “não havendo razões para precipitá-la”. A posição do MPF está sendo interpretada como uma forma de apaziguar os ânimos em Porto Alegre, ante o acirramento entre os prós e contra a condenação do petista.

Julgamento será transmitido ao vivo

Outra medida levada em conta para evitar confrontos é a transmissão ao vivo do julgamento, que acontecerá no próximo dia 24, em Porto Alegre (RS). A informação é do próprio TRF4, cujo canal no Youtube fará a transmissão. Enquanto isto, a preocupação com a segurança nas manifestações que serão promovidas pelos movimentos sociais na capital gaúcha continuam, O problema é que o próprio governo local não promete a participação das forças policiais para proteger os atos. Isto a exata uma semana do julgamento.

Morte de Teori completa um ano

A morte do ministro do Supremo, Teori Zavascki, em queda de avião no litoral do Rio de Janeiro, esta completando hoje um ano. Três investigações foram abertas. Uma da Polícia Federal, que semana passada apontou que houve falha humana, mas a investigação ainda não terminou. A outra apuração é do Ministério Público Federal, que ainda não se pronunciou. E a terceira é da Aeronáutica, cujo relatório será divulgado segunda-feira (22), aqui em Brasília.

Frase do Dia

“Nunca autorizei que o Sr. Rodrigo Rocha Loures fizesse tratativas em meu nome com empresários do setor portuário visando o recebimento de valores em troca de melhores benefícios para aquele setor. Peço vênia para realçar a impertinência de tal questão, por colocar em dúvida a minha honorabilidade e dignidade pessoal.”

Presidente Michel Temer, em resposta a uma das 50 perguntas formuladas pela Polícia Federal no inquérito sobre o Porto de Santos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *