Um ano de metanoia

Por Gislaine Dias

Foto: Reprodução

Janeiro é o despertar do novo ano. Muitas são as resoluções projetadas para 2018. No mundo dos negócios, as empresas buscam maior eficiência organizacional, promoção do bem-estar, crescimento, engajamento e produtividade das equipes. Isso porque, o recurso mais importante, nem sempre é financeiro, e sim, humano. Porém, o fator-chave para cruzar a linha de chegada ao longo de 2018 é a mudança.

Renovar e envolver as equipes dentro do DNA de cada empresa é um desafio que se apresenta. Com o propósito de alcançar as metas e objetivos pactuados, as técnicas e orientações especializadas conquistam cada vez mais a confiança de executivos e gestores.

Uma pesquisa da Association of Executive Search and Leadership Consultants revela que 51% dos executivos pesquisados acreditam que o Coaching seja uma ferramenta fundamental para se manter no mercado. Ou seja, as empresas têm a consciência de que não adianta usar sempre a mesma abordagem e esperar um resultado diferente.

Dentro dessa perspectiva, o Coaching Integral Sistêmico é considerada uma ferramenta estratégica para que os líderes desenvolvam com maestria as habilidades e tenham resultados extraordinários na execução das atividades profissionais. No entanto, a janela de oportunidade consiste em trabalhar de forma integral a razão e a emoção, para que cada indivíduo obtenha a alta performance pessoal e profissional sem comprometer nenhuma área da vida.

As técnicas de Coaching têm a ensinar os tomadores de decisão a se autoconhecerem e também os integrantes da equipe. Em 2018, as palavras de ordem são inovação e descoberta. A mudança começa em cada um e passa pelo autoconhecimento e ressoa em que tudo aquilo que lhe cerca. Nas organizações, na sociedade e na família. Que a mudança seja necessária e constante.

Gislaine Dias é Gerente Executiva da Febracis Brasília.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *