Interventores querem os polêmicos mandados coletivos para busca e prisão. Confira este e outros assuntos na coluna desta segunda-feira

Intervenção federal deve ser votada hoje

Está prevista para sessão marcada para esta noite a votação do decreto de intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro. Isto é, se houver quórum. Como se sabe, a maioria dos congressistas só retorna a Brasília na manhã de terça. Mas dada a urgência da votação, é possível que se consiga uma presença suficiente para votar. A aprovação e praticamente certa. O decreto de intervenção foi assinado na última sexta-feira (16).

Mandados coletivos de busca e prisão são solicitados

Uma medida que já está dando o que falar. Com a intervenção federal, o governo quer solicitar mandados coletivos de busca, apreensão e prisão no Rio. O recurso deve ser autorizado pela Justiça estadual, à qual será feito o pedido pelo o ministro da Defesa, Raul Jungmann. Considerada arbitrária por alguns, a medida poderá colocar toda uma comunidade sob investigação e não apenas os alvos principais da intervenção, que são os bandidos.

É preciso atenção com as fronteiras

Nenhum combate sério contra o crime organizado e o tráfico se faz sem uma atenção carinhosa para com as fronteiras brasileiras com os países vizinhos, sobretudo daqueles de onde vêm drogas e armas. Os tráficos de drogas e armas, além do contrabando em geral, não se faz com seriedade sem o reforço de nossas fronteiras, a grande maioria seca, sem a presença ostensiva das Forças Armadas, da Polícia Federal, da polícias estaduais e da Força Nacional. É preciso lembrar que há cerca de um mês houve um sério confronto do Exército brasileiro com traficantes na fronteira com a Colômbia, quando um soldado brasileiro ficou ferido.

Rio de Janeiro não é o estado mais violento

A badala intervenção federal no Rio de Janeiro esconde um dado interessante. O Rio não é o estado mais violento do Brasil. Dados do 11º Anuário de Segurança Pública, realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública  e divulgados em novembro último, mostra que o território fluminense está em décimo lugar no ranking, à frente de Mato Grosso, que ocupa a 11ª posição. Os dados são de 2016, considerado o ano mais violento da história do Brasil, com mil pessoas assassinadas. O estado mais violento é Sergipe, seguido do Rio Grande do Norte, Alagoas, Pará, Amapá, Pernambuco, Bahia, Goiás e Ceará 39,8 3566. O Maranhão completa a lista dos doze estados mais violentos. O cálculo tem por base o índice que calcula o numero de mortos para cada 100 mil habitantes.

Ceará terá força-tarefa para combater crime organizado

O presidente Michel Temer determinou no domingo (18) o envio de uma força-tarefa formada por agentes da Polícia Federal (PF) e da Força Nacional para combater o crime organizado no Ceará, estado que compõe a lista dos 12 mais violentos do país e onde foi assassinado no mesmo dia o traficante Rogério Jeremias de Simone, vulgo Gegê do Mangue, um dos líderes do Primeiro Comando da Capital, a facção criminosa de São Paulo que está dominado todo o país. No Ano Novo, Fortaleza, a capital, foi palco de outra grande chacina. Os índices de violência no estado estão cada vez mais alarmantes.

Repasses ao PSDB em obras do Rodoanel

O cerco continua se fechando contra os tucanos paulistas, envolvidos em esquemas de corrupção com as obras do Rodoanel e do Metrô. Ex-executivos de empreiteiras afirmaram em depoimentos à Polícia Federal que repassaram propina para o PSDB em troca de contratos para obras do Rodoanel, em São Paulo. O dinheiro teria sido utilizado para a campanha de José Serra ao governo do Estado, em 2006.

Atividade econômica cresce 1,04% em 2017

O nível de atividade econômica no país registrou crescimento de 1,04% em 2017, em comparação com 2016, segundo o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) divulgado hoje (19) pelo Banco Central (BC). O indicador foi criado pelo BC para tentar antecipar, por aproximação, a evolução da atividade econômica. Mas o indicador oficial é o Produto Interno Bruto (PIB), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que será divulgado em março. O valor aproxima-se da projeção do governo para 2017, divulgada em dezembro do ano passado, de 1,1%. A expectativa do mercado financeiro, de acordo com o boletim Focus, do BC, é de 1%.

Mercado reduz de 3,84% para 3,81% estimativa da inflação para este ano

O mercado financeiro reduziu a projeção de inflação e aumentou a expectativa de crescimento da economia para este ano, de acordo com o boletim Focus, divulgado nesta segunda (19) pelo Banco Central, em Brasília. A expectativa do mercado é que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) – a inflação oficial do país – fique em 3,81% em 2018, uma redução em relação aos 3,84% projetados na semana passada. A estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, deste ano aumentou, passando de 2,70% da semana passada para 2,80%. A expectativa do mercado para o crescimento da economia segue, no entanto, menor que a estimativa do governo, que estima um PIB de 3% para 2018.

Frente em Defesa dos Municípios lança suas pautas

A Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Municípios Brasileiros do Congresso Nacional, presidida pelo deputado Herculano Passos (PSD-SP), em conjunto com a Confederação Nacional dos Municípios realizam nesta terça (20) café da manhã de reabertura dos trabalhos para o ano de 2018. Serão apresentadas as pautas prioritárias do setor. Entre elas estão a Medida Provisória que autoriza o repasse de apoio financeiro aos municípios no valor de R$ 2 bilhões (MP 815/17) e a Proposta de Emenda à Constituição que melhora a distribuição do Fundo de Participação dos Municípios (PEC 391/17).

Frase do Dia

“Governo responderá a todos os pedidos de socorro. O que vier, o governo federal assistirá, responderá na extensão de sua capacidade operacional e seus limites de orçamento”.

Torquato Jardim, ministro da Justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *