Tempo de escolha

Época de eleição sempre foi uma temporada de emoções. É o maior acontecimento político do ano. Aquele momento em que se coloca no tabuleiro peças que podem transformar uma nação. Mas o que se observa nos últimos pleitos é um distanciamento do eleitor, motivado pelos escândalos, prisões em escala dos principais grupos políticos, e isso causou descrédito perante a população, insegurança jurídica e o Brasil teve a sua imagem arranhada entre as nações.

A pesquisa da Confederação Nacional da Indústria realizada junto com o Ibope sobre as perspectivas para as eleições de 2018, divulgada no mês de agosto, revelou que 44% dos eleitores estão pessimistas em relação à eleição presidencial. Os que se dizem otimistas são 20%.

Os aspirantes aos cargos políticos são muitos. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral, nesse pleito o número de candidatos à Presidência da República são 13, e no Distrito Federal para os cargos de: governador (11), senador (19), deputado federal (188) e deputado distrital (954).

No entanto, esteja otimista ou não, a nação brasileira depende da política para execução de ações estruturantes, e que impactam diretamente na vida das pessoas. Uma boa política é voltada para as cidades e para as pessoas.

E as projeções econômicas para o ano de 2019 não são as melhores, quando o assunto envolve o funcionalismo público. Nesse período, as entidades sindicais ficam em estado de alerta, porque a categoria é exposta como alvo de medidas de retirada de privilégios para fazer ajuste fiscal.

Nesse contexto, o SINDETRAN-DF, mantém diálogo com todos os candidatos ao Governo de Brasília e também com os futuros congressistas, apresentando as demandas da categoria e oportunidades de melhorias dentro do Detran.

O pleito da entidade tem sido dar autonomia ao Detran, para que essa autarquia possa desempenhar suas funções sem depender da Secretaria de Estado de Fazenda, sobretudo, no repasse de recursos provenientes de multas e que devem ser aplicados em campanhas educativas. Outra demanda é a construção de uma sede própria para o Detran, com equipamentos de informática modernos e melhorias nas instalações, modernizar o atendimento virtual, reduzir filas e desburocratizar os processos, para que possam oferecer um serviço eficiente à população. Para o servidor, espera-se investimentos em equipamentos, modernização da frota, e também Reestruturação Salarial com reposição das perdas inflacionárias desde 2014 e diminuição das diferenças entre as carreiras

Ressalta-se que o SINDETRAN-DF é a voz do servidor de carreira do Detran, e busca manter o diálogo permanente com os tomadores de decisões para que se alcance melhorias para esses profissionais. Essa é uma luta permanente e entende-se que o Brasil do ano de 2019 será o resultado das eleições de outubro. Sendo assim, é fundamental escolher consciente os futuros representantes.

Por isso, vote em um futuro melhor. Vote na justiça social, na qualidade de vida da população e na cidadania plena.

 

Fábio Medeiros é presidente do SINDETRAN-DF (Sindicato dos Servidores das Carreiras que compõem os órgãos e Entidades Executivas de Trânsito do Distrito Federal).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *