PESQUISA CNT/MDA: Pesquisa CNT/MDA: Bolsonaro lidera com 57% dos votos válidos, contra 43% de Haddad. Confira outras informações na coluna JPM desta segunda-feira(22)

BOLSONARO  MANTÉM LIDERANÇA

A seis dias das eleições, conforme pesquisa CNT/MDA divulgada nesta segunda-feira(22).o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) mantém sua larga margem à frente do adversário Fernando Haddad (PT) no segundo turno da disputa eleitoral, Com 57 por cento dos votos válidos, Bolsonaro firma-se como favorito para o pleito de domingo. Haddad obteve, segundo a pesquisa, 43 por cento dos votos válidos, quando se exclui os brancos e nulos.No cômputo total de votos, o candidato do PSL tem 48,8 por cento, enquanto o presidenciável petista alcança 36,7 por cento das intenções de voto. Brancos e nulos acumulam 11 por cento e 3,5 por cento dos entrevistado se disseram ainda indecisos.

MORO MINISTERIÁVEL
Em Brasilia, correm boatos no sentido de que um dos nomes possíveis para ministro da Justiça caso Jair Bolsonaro seja eleito, depois que o presidente do PSL, Gustavo Bebianno, disse em entrevista que o juiz Sergio Moro, titular da Operação Lava Jato em Curitiba, é um dos nomes cotados para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal num eventual governo do capitão reformado.

 

 

ORÇAMENTO 2019

O Congresso deve se debruçar, após as eleições, nos debates em torno do Orçamento Geral da União para 2019. A equação para equilibrar as despesas e as receitas deverá ser mais complicada que nunca, segundo especialistas.Um dos grandes desafios do próximo presidente do País será impedir que avancem novas propostas que reduzam a arrecadação ou aumentem despesas. Somente na primeira semana após o primeiro turno, em apenas duas votações, deputados e senadores autorizaram despesas extras de R$ 8,5 bilhões a partir de 2019.“A maior contribuição que Congresso pode dar neste momento ao País e a qualquer que seja o novo governante é refletir sobre a aprovação de matérias que impliquem novos gastos”, disse o especialista em orçamento público, James Giacomoni.

BOLSONARO FILHO RECUA

Depois da repercussão de um vídeo no qual aparece dizendo que basta “um soldado e um cabo” para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), filho do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), recuou, afirmando que nunca defendeu tal posição. “Se fui infeliz e atingi alguém, tranquilamente peço desculpas e digo que não era a minha intenção”, afirma em seu perfil das redes sociais. O deputado também repetiu seu pai, que mais cedo afirmou a jornalistas que “se alguém falou em fechar o STF precisa consultar um psiquiatra”. “De fato essa pessoa precisa de um psiquiatra”, disse o parlamentar.

AMEAÇA A DEMOCRACIA

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, afirmou nesta segunda-feira que as instituições brasileiras estão sendo ameaçadas pelas declarações de seu adversário na corrida presidencial, Jair Bolsonaro (PSL), dizendo que o concorrente ameaça a democracia antes mesmo das eleições e pode fazer ainda pior se eleito.”Ontem a ameaça era uma ameaça física à oposição em caso de ele ganhar as eleições, ou seja, ele está dizendo que se ganhar as eleições não vai haver espaço para oposição no Brasil”, disse Haddad a jornalistas

 

EXAGERO

Já o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otavio de Noronha, afirmou nesta segunda-feira(22) que houve um exagero na repercussão da declaração do deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, de que para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF) basta um soldado e um cabo.”Nitidamente, não vi nenhum interesse de ameaça, estão exagerando na dimensão do que ele falou”, afirmou Noronha a jornalistas, ao deixar evento da Fundação Getulio Vargas.

 

FACHIN NEGA LIMINAR

O ministro Edson Fachin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou liminar (decisão provisória) ao PSOL em representação que pedia que o uso do WhatsApp fosse restringido nos dias que restam até domingo (28), data do segundo turno das eleições.Na representação, o PSOL pediu que a Justiça Eleitoral determinasse ao WhatsApp o uso temporário de mecanismo para limitar o compartilhamento, encaminhamento e transmissão de mensagens e o número de membros em novos grupos criados na rede.

TOGA HONRADA

Quem também se pronunciou sobre o assuntou foi a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber: “No Brasil, as instituições estão funcionando normalmente e juiz algum que honra a toga se deixa abalar por qualquer manifestação que eventualmente possa ser compreendida como inadequada”

PESQUISAS CARAS
Contando apenas as pesquisas de intenção de voto para presidente no primeiro turno, os institutos e empresas do ramo registraram a prestação de R$ 34.367.829,70 em serviços. Foram 514 levantamentos cadastrados com data de realização entre o começo de 2018 e o primeiro turno das eleições, em 7 de outubro.

DADOS DO TSE

De acordo com os dados do TSE, o instituto com o maior valor em serviços prestados foi o Ibope, disparado com R$ 14.788.187,60. Depois, vem o Datafolha, com R$ 4.551.880. São os principais institutos do país.

COMANDO DAS ELEIÇÕES

O Centro Integrado de Comando e Controle das Eleições Gerais de 2018 (CICCE) deve retomar as atividades nesta segunda-feira (22), na sede da Superintendência da Polícia Federal, em Brasília. Composto por 14 instituições e órgãos parceiros, o Centro tem como finalidade subsidiar a atuação da Polícia Federal, como polícia judiciária eleitoral, e a Justiça Eleitoral durante a realização do segundo turno das eleições. Vamos fazer um registro e mostrar as possíveis mudanças nesta segunda fase do pleito

FRASE DO DIA

“Nosso plano de governo é constitucional, eficiente e democrático. O governo do Jair será rigorosamente constitucional e de proteção e salvaguarda da Constituição brasileira, e ponto. Desde o início, quando apresentamos o plano de governo, ficou claro que somos democratas e que a Constituição é o grande guia do Brasil… se tem alguém que vai proteger a Constituição é Jair Bolsonaro, diferentemente dos bolivarianos do PT. O povo sabe, tanto que já escolheu em quem vai votar”, afirmou o  deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que deverá assumir a Casa Civil em caso de vitória do candidato do PSL à Presidência, .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *