Este hotel é o paraíso para quem detesta germes

Se você se hospedar em um hotel altamente tecnológico, poderá ver as manchetes do dia no espelho do quarto ou contar com um personal trainer sob demanda quando ligar a televisão.
Mas, se você estiver hospedado no Hotel Ottilia, que acaba de abrir as portas em Copenhague, na Dinamarca, poderá ter um quarto que se desinfeta completamente todas as manhãs sem que o serviço de limpeza levante um dedo.
O hotel fez uma parceria com a empresa dinamarquesa ACT. Global para usar a tecnologia patenteada ACT CleanCoat, que é transparente, inodora e ativada pela luz solar. O principal ingrediente, o dióxido de titânio, também está presente no filtro solar.
Em testes realizados por organizações nacionais de pesquisa, como o Centro Nacional de Pesquisa sobre o Ambiente de Trabalho da Dinamarca, o spray antibacteriano demonstrou dizimar micróbios como os que causam gripe e salmonela, esporos de fungos e alérgenos. Cubra um ambiente com essa espécie de isolamento invisível e ele poderá purificar o ar por até um ano, removendo contaminantes como fumaça de cigarro ou outros odores.

Como funciona

“Estamos testando esse sistema há dois anos”, diz Karim Nielsen, CEO da Brockner Hotels, a companhia controladora do Ottilia. Ele compara a tecnologia de revestimento invisível ao Teflon e testou-a primeiro no Hotel Herman K. Agora os dois hotéis são os primeiros do mundo a usar esse sistema autolimpante.
“O que realmente nos convenceu foi que isso facilitaria muito a vida de nossos funcionários”, diz Nielsen. Os camareiros não precisam aplicar detergentes químicos e produtos de limpeza, nem inalar esses vapores. Eles podem aspirar, lavar a seco a roupa de cama e limpar superfícies, e a CleanCoat faz o resto. Os hóspedes também se beneficiam: a limpeza dos quartos é feita mais rapidamente e sem o uso de produtos químicos que podem causar reações alérgicas.
Nielsen estima que custa US$ 2.500 para cobrir cada quarto com CleanCoat. “Essa tecnologia é cara”, diz ele, “mas reduzimos a carga de trabalho em 50 por cento. Isso está facilitando o cotidiano de nossos funcionários e reduzindo nosso consumo de água”. Um benefício adicional, diz ele, é a redução dos custos de manutenção. “Como deixamos de usar produtos químicos para limpar, nunca derramamos [água sanitária] nos carpetes.”
Fonte: Exame

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *