David Lynch, Wes Studi e Lina Wertmüller receberão Oscar honorário

Os cineastas David Lynch e Lina Wertmüller e o ator Wes Studi receberão o Oscar honorário como homenagem a suas carreiras, anunciou nesta segunda-feira (3) a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos. No comunicado, a organização também informou que a atriz Geena Davis receberá o Prêmio Humanitário Jean Hersholt.

“O Governors Awards, que a Academia concede anualmente, reconhece indivíduos que se entregam a uma vida de realizações artísticas e ainda forneceram espetaculares contribuições à nossa indústria e além”, disse o presidente da Academia de Hollywood, John Bailey.

Considerado um dos diretores mais singulares e imaginativos do cinema americano, David Lynch deu forma a uma filmografia marcada pelo surrealismo e pelo mundo onírico em filmes como “O Homem Elefante” (1980), “Veludo Azul” (1986), “Cidade dos Sonhos” (2001) e a série cult “Twin Peaks”. Lynch foi indicado quatro vezes ao Oscar, mas nunca levou a estatueta.

A italiana Lina Wertmüller foi a primeira produtora a ser indicada ao Oscar de melhor direção graças com o longa “Pasqualino Sete Belezas” (1975), com o qual também foi candidata a melhor roteiro original. Sua carreira inclui ainda títulos como “I basilischi” (1963), “Mimi, o metalúrgico” (1972) e “Por um Destino Insólito” (1974).

De ascendência indígena, o ator americano Wes Studi desenvolveu uma longa carreira com papéis de destaque em filmes como “Dança com Lobos” (1990) e “O Último dos Moicanos” (1992).

Pelo Twitter, ele celebrou a homenagem. “Estou profundamente honrado e sensibilizado. Finalmente poderei dizer: ‘Gostaria de agradecer a Academia…'”, escreveu o ator.

Lynch, Wertmüller e Studi receberão o Oscar honorário, que, de acordo com a definição da Academia, reconhece as “extraordinárias contribuições” ao cinema ou o “excelente serviço” prestado a essa instituição por um profissional durante toda a sua vida.

Além deles, a atriz Geena Davis receberá o Prêmio Humanitário Jean Hersholt, uma das seis premiações especiais. Ela é destinada a reconhecer “os esforços humanitários” das personalidades do cinema.

Vencedora do Oscar de melhor atriz coadjuvante por “O Turista Acidental” (1988) e indicada na categoria de melhor atriz por “Thelma & Louise” (1991), a americana também se destacou fora das telas por seu trabalho a favor da igualdade entre homens e mulheres por meio do Geena Davis Institute on Gender in Media e sua parceria com a Organização das Nações Unidas.

O Prêmio Jean Hersholt não é entregue desde 2015, quando a Academia reconheceu a atriz Debbie Reynolds.

O Oscar de honora e o Prêmio Humanitário Jean Hersholt serão entregues no Prêmio dos Governadores, um evento mais discreto, sem transmissão ao vivo e com menos convidados do que a cerimônia do Oscar. A 11ª edição acontecerá em 27 de outubro, na sala Ray Dolby Ballroom, do Hollywood and Highland Center, em Los Angeles.

Da Redação com informações do G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *